31 de julho de 2013

O Oceano no Fim do Caminho

 

Há um mundo inacreditável sobmerso

A última obra do aclamado autor inglês Neil Gaiman chama-se “O Oceano do Fim do Caminho”. Trata-se de um livro curto, que deveria ser um conto, segundo o autor, mas que se tornou novela e depois romance.  É uma viagem ao desconhecido, como já aconteceu antes nas páginas de qualquer livro do autor de Sandman.

A história começa com o protagonista preparando-se para um velório. Nosso homem, sem nome, que aparece estar perto dos cinquenta anos de idade, vai voltar para a localidade onde cresceu. Desviando-se não intencionalmente do caminho que deveria seguir, ele acaba chegando à fazenda Hempstock, um local conhecido de sua infância. Lá, sentado no banco verde com vista para o lago que Lettie Hempstock chamava de oceano, ele encontra o seu passado.

Os eventos desencadeados após a morte do minerador de opala que ocupava o quarto que fora dele, começam a ser relembrados. O primeiro encontro com Lettie, a fazenda Hempstock, a mãe a avó da nova amiga e o oceano, são visitados novamente. Até mesmo a chegada de Ursula Monkton para ocupar o quarto do minerador de opala em troca de tomar conta das crianças da casa: ele e a irmã. A Pulga, como a velha Hempstock, a chamava, era muito mais do que uma linda mulher…

O sobrenatural aflora como as flores do jardim da mãe do protagonista. As Hempstock, as Pulgas e as assustadoras Pragas, tudo tem ligação com aquilo que está além dos nossos olhos; do nosso mundo. O oceano é a chave para o sentido de tudo ou a completa falta dele.

Gaiman mistura elementos científicos com a fantasia em um romance único, direto e intrigante. Os pontos não são todos ligados, há algo mais; há algo que nos deixa inquietos. O quanto de real que imaginamos ser real é mesmo real? Somos tão ínfimos, como o autor faz questão de deixar claro com o episódio da morte do gato do protagonista. E se nossas mentes fossem o oceano? Questões teológicas também são exploradas de forma sútil e o efeito que isso causa ao leitor é algo subjetivo e tem a ver com o que cada um acredita. Viemos mesmo de um grande ovo cósmico que simplesmente explodiu? E se este ovo foi botado por uma galinha da fazenda Hempstock?      

Uma leitura rápida de reflexão profunda. Mágica, fantástica, escolha os adjetivos dessa natureza, mas que não deixa de ter o pé firma no que temos de realidade. Tudo faz sentido, até mesmo o que não faz. As palavras finais do autor são o freio. Algo como: “a história é essa e ponto, não há mais nada”. Será mesmo?

Fica a resenha e a dica.

Abraço.   

29 de julho de 2013

A 2ª temporada de Super Poderosa começou!

 
No ano passado começamos um projeto independente de nome “Super Poderosa”, cuja intenção era contar uma história baseada em hqs (todas as postagens do projeto podem ser lidas aqui). Aconteceu um núcleo completo de história, no qual foi apresentada a protagonista Mercúria, sua cidade e sua primeira inimiga. Capítulos curtos, texto rápido e narração no tempo presente, foram as características do projeto. Mais ainda: a disponibilização de forma gratuita nos portais Bookess e Livros On!
 
A segunda fase da história começa hoje e a atualização de capítulos será semanal, como era originalmente. O texto da primeira fase foi revisado e o título dos capítulos, mudado. Agora eles fazem parte de um núcleo de histórias, como acontece nas Histórias em Quadrinhos. Essa política segue na 2ª temporada. Por enquanto o texto está disponível no Bookess e no Issu. A disponibilização pelo Livros On! será negociada. Conto com a leitura de vocês e principalmente com a opinião.
Eis o livro com o novo capítulo “Inimiga n°1, parte 1 ”:

Ah, em tempo! O livro conta com ilustrações dos personagens!

Leia no Bookess:

Um abraço e até semana que vem com mais “Super Poderosa”!

26 de julho de 2013

Resenha de Rainha do blog Rabiscos e Fragmentos

Olá, amigos! Passando para mostrar a 1ª resenha de Rainha feita pelo blog parceiro "Rabiscos e Fragmentos". Fica também aqui o meu agradecimento. A postagem original pode ser conferida aqui.

Sinopse: Bruno Vieira Junior é um ex-delegado que após a morte da sua noiva torna-se um recluso detetive alcóolatra. Contudo, sua vida se transforma depois de ser contratado contra vontade por uma peculiar adolescente. Intrigado, ele aceita investigar o verdadeiro passado da cliente, entrando numa surpreendente trama, cheia de ação e mistério. 

Uma trama cheia de segredos que te deixa de boca aberta com as revelações! 

Bruno Vieira perdeu seu chão quando a pessoa que ele mais amava e confiava morre tragicamente após ele reagir a um assalto. Sua carreira decai e ele entra no mundo do vício pelo álcool, alegando não ter mais razões para viver. Devido a alucinações, sua ex mulher lhe aparece dando conselhos e ele resolve retomar aos poucos sua vida.
Ele resolve recomeçar sua vida como investigador para pequenos casos, coisa que seu emprego como delegado lhe ajudou bastante. É então que uma garota chamada Rafaela aparece em seu escritório pedindo para que ele faça uma investigação para ela. Ele ri, achando que não viria nada de importante de uma garota. Ele acaba aceitando investigar o que Rafaela pediu e não entende como aceitou. É como se sua mente não quisesse, mas que ele não pudesse controlar isso.
A primeira surpresa que temos é sobre a investigação: Rafaela pede para Bruno investigar sobre sua vida, seu passado, coisa que a garota não lembra. Seus pais alegam que tudo isso ocorreu devido a uma queda quando a garota andava de skate, mas Rafaela sente que não pertence aquele lugar. 
 
''Se havia sido contratado para investigar o passado, era óbvio que sua nova cliente o desconhecia. Os pais poderiam estar escondendo sua origem, foi seu primeiro palpite. Era por isso que desejou contratá-lo, queria saber quem era de verdade.
Fazia sentido. O que não tinha explicação era o fato de ele ter aceitado o trabalho. Afastou-se do computador para pensar com clareza e admitiu que era por isso que decidira investigá-la.'' Pág. 19

Rafaela então encontra em sua casa um aparelho (semelhante a um celular) que ela não tem ideia do que seja, mas seu instinto lhe diz que é uma peça fundamental para descobrir sobre o seu passado. Ele descobre que na verdade, o aparelho consegue captar as boas ações que você faz e transforma-las em dinheiro. Ele acaba investigando uma sociedade para saber o que Rafaela tem em comum com ela.


A partir dai o autor muda totalmente o rumo do livro. Eu achei que seria algo mais policial, mas Paul constrói uma ficção voltada para um clima distópico e investigativo. Adoro mesmo a escrita do autor, depois de ler ''Ester'' (outro livro de Paul Law com resenha aqui no blog) eu só esperava coisas boas para ''Rainha'' e não me decepcionei nem um pouco! Temos cenas de ação, romance, investigação, traição, segredos sendo descobertos e o epílogo do livro é o ponto máximo! Sem falar, claro, da edição que está muito bonita! Recomendo demais! 4 estrelas!

Adicione a sua estante: Skoob
Compre: Blog do livro
Confira o booktrailer: Youtube

Abraços!

23 de julho de 2013

Maldição de Kamila Zöldyer

 

Em busca de ser mortal

“Maldição” é o segundo livro da trilogia Legend of Raython da escritora Kamila Zöldyer. A nossa opinião sobre o primeiro livro pode ser lida aqui e sobre o trabalho da autora, aqui. Nessa segunda parte das memórias de Phyreon Thrower nos deparamos novamente com Elektra e seu primo Raikou, os personagens centrais de Ethernia, mas agora sobre nova perspectiva.  O texto a seguir pode conter revelações do enredo do livro Ethernia, o primeiro livro da trilogia, já que Maldição é sua continuação direta.

Após o ocorrido no palácio de Lothus Thrower, Elektra foi amaldiçoada com a Ilumina, uma magia poderosa que a transformou em imortal. Entretanto, viver para sempre sobre os efeitos da maldição não era bom negócio, já que seus efeitos implicam na impossibilitada de se curar dos ferimentos que ganhou na batalha contra o tio e ainda dividir a sua mente com dois espíritos. Este era o preço da imortalidade, uma existência eterna de sofrimento e loucura, já que as dores físicas nunca cessariam e os espíritos não se calariam.

Elektra não queria isso para ela, já era assustador ver em seu pai o que tal maldição fazia. Assim, com a ajuda do seu primo Raikou Thrower, o recém-descoberto herdeiro de Ethernia, ela parte para os quatro cantos do mundo em busca das pedras mágicas capazes de desfazer a maldição e transformá-la novamente em mortal.

Novos personagens são adicionados na trama, criaturas mágicas são exploradas e outros impérios visitados. Ao mesmo tempo em que a busca pelas pedras avança, descobrimos sobre a “relação” entre Elektra e Raikou. Há uma profecia (tema do terceiro e último livro), que os envolve; que os confunde.

Como em Ethernia, a leitura é rápida; o texto dinâmico e objetivo, povoado por diálogos. Há alterações da narrativa que ora se dá em primeira pessoa e ora em terceira. Prevalece a em terceira pessoa. O foco da narrativa também é dinâmico, ou seja, o leitor deixa um cenário e entra em outro em vários momentos, mas isso não quebra a continuidade da história. Está tudo muito bem montado, como já é característico da autora.

Dentro da Literatura Fantástica, usando os elementos de RPG e Animes, Kamila prende o seu leitor de forma eficiente. Texto simples aliado a uma história complexa que envolve maldições, romances proibidos e guerra é a pedida certa para nós, leitores. Ainda mais os novos leitores, tão acostumados com esta influência visual que agora se faz presente na literatura. É um ótimo livro.

Fica a resenha e a dica.

Conheça o blog da autora e fique por dentro de tudo que acontece em Raython:

http://thundersempire.blogspot.com.br/

Abraços.

19 de julho de 2013

O perigo de conhecer apenas uma história


Você já parou para pensar nos conceitos sólidos que carrega consigo? Nas coisas que estão fora de questão? Algo impregnado no seu ser de tal forma que nem lhe passa pela cabeça outra interpretação? Comece a pensar nisso…

Foi exatamente o que fez a escritora nigeriana Chimamanda Adichie no vídeo que compartilhamos nesta postagem. Conceitos, visões, ora moldadas por nossa vivência, ora por nossa ignorância, que nos fazem ver como vemos. E que, como se pode observar, nos induz a erros grotescos. O mundo é muito mais do que nossos olhos podem nos mostrar:


Agradeço ao amigo que me mostrou isso. Abraços.

17 de julho de 2013

A Dança do Universo de Marcelo Gleiser

 

Uma valsa tão incrível quanto mágica

 

O Espaço, o Universo, o mundo que nos circunda sempre foi algo interessante para mim e em “A Dança do Universo” os motivos se tornaram um pouco mais claros. Marcelo Gleiser conhecido cosmólogo brasileiro, nos apresenta sua visão sobre a criação de tudo, sobretudo, do ponto de vista dos leigos. Partindo dos mitos religiosos sobre o surgimento do Universo, ele avança para as teorias científicas, sem deixar de lado questões fundamentas da física, tão inerente ao nosso mundo.

E que mundo! Em “A Dança do Universo” nos deparamos com o nascimento da Física que está intimamente ligado á curiosidade humana de conhecer os mecanismos da Natureza. Por que o mundo existe? Passamos por Galileu Galilei, Newton, Einstein e tantos outros sempre em busca da resposta e ao que parece, como Gleiser nos ensina, estamos fadados a nunca alcançá-la. O motivo é simples e filosófico: a nossa mente, que é também nossa maior ferramenta para buscar esta resposta, está presa a uma curiosa limitação. Não podemos, por essência, pensar em algo que fuja do conceito “dualista inversamente proporcional”, em outras palavras, funcionamos sempre com um conceito positivo e outro negativo, como a ideia de bem e mal, dia e noite, luz e escuridão. Simplesmente não podemos fugir desta dualidade, desta prisão, não é mesmo curioso?

Mas Newton não levou a limitação em consideração ao desenvolver a chamada Física Clássica, para lidar com movimento. Tampouco Einstein quando renovou toda a Física ao propor sua Teoria da Relatividade Especial e depois a Geral. É incrível que os conceitos de Tempo e Espaço não são sólidos! Gleiser consegue nos mostrar isso, quando traduz Einstein; quando nos mostra que a velocidade da luz é a única constante universal (constante aqui deve ser interpretada como em constante aceleração em relação a todas as outras coisas). No seu exemplo de trens e motos podemos perceber que se houvesse uma motocicleta capaz de atingir a velocidade da luz e ela apostasse uma corrida com um feixe de luz, a luz continuaria a se distanciar da moto! O tempo para ambos seria diferente, o espaço também, já que para a luz o espaço é menor do que para a moto. Um corpo em velocidade quase igual a da luz diminui de tamanho. O tempo nesta mesma velocidade é “maior” do que o tempo nosso. Esta é a Física de Einstein, a Física do muito pequeno, do que está em todas as coisas.

Há mesmo um mundo novo que não podemos alcançar com nosso corpo pesado e grande. Há toda uma lógica microscópica que desafia leis básicas que conhecemos. Buscamos conhecer a origem do Universo e está claro, pelo menos para mim depois de ler este livro, que tal origem tem tudo a ver com este mundo micro que tem suas regras fantásticas. Estamos longe de saber como tudo se deu, mesmo com tantos modelos do início de tudo. Big Bang? Quem ou o que colocou “aquilo” que explodiria no lugar que se encontrava? Já havia “algo” antes? Um micro átomo primordial que mesmo estático foi capaz de “criar” a energia necessária para a matéria? Mas não é certo que qualquer coisa “estática” não produz energia? Não para o micro mundo…

“A Dança do Universo” é um livro para nos fazer questionar. Tirar-nos do tranquilo berço do visível e sensível. Voltado para nós, leigos, escrito com paixão e clareza, a obra nos desperta para o nosso impossível; para nossa insignificância. A única certeza que se tem ao fim da leitura é a de que o Universo não foi criado apenas e tão somente para nós. Há mais, muito mais.

Fascinante leitura; fascinante dança. Fica a resenha e a dica.

Abraços.        

12 de julho de 2013

Rainha e Warld na prateleira do Primeiro Livro e mais

 

Os livros Rainha e Warld foram mencionados na coluna “Na Prateleira” do blog Primeiro Livro. A blogueira amiga Amanda Cristina falou da capa, do que espera da leitura. Confira o vídeo:

Não é legal? Agradeço mais uma vez ao Primeiro Livro pela divulgação. Aproveito a oportunidade para mostrar o book trailer de Rainha. Olhem só:

Tem mais uma coisa. O blog Rabiscos e Fragmentos publicou a primeira resenha de Rainha. Vou deixar o link e depois transcrevo-a aqui no blog. Eis o link original:

http://rabiscosefragmentos.blogspot.com.br/2013/07/resenha-rainha-paul-law.html

Para quem quiser conhecer mais ou adquirir Rainha, é só visitar a página do livro aqui no blog.

Forte abraço!

10 de julho de 2013

Sidnei Salazar lançará “Ariosvaldo”

 

 

Olá, amigos! Está confirmado para o dia 27 de julho na livraria Book Store do Shopping Hortolândia, o lançamento do livro “Ariosvaldo Um Estranho no Céu”. O autor Sidnei Salazar, já conhecido por aqui pelo livro “De Volta à Pangeia” (resenha pode ser lida aqui), mandará os convites ou divulgará o horário nos próximos dias pelo Facebook. 

Confira comigo a sinopse do livro:

Sidnei Salazar, mais uma vez, com refinado bom humor apresenta um livro “delicioso”, onde mostra a simplicidade, a candura, a sagacidade e o carisma do sertanejo, nos presenteando com momentos hilários de boa leitura. É tão contagiante que não dá pra parar de ler. Aliás, não dá pra não ler...Cativante, muito bom mesmo!”

Vamos prestigiar a literatura nacional!

Abraço.

1 de julho de 2013

2° resultado da promoção “Ester clássica na minha casa”

 

banner promoção2

Olá, amigos leitores. Já saiu o resultado do segundo sorteio da promoção ativa na nossa página do Facebook. O Aplicativo Yes!Ganhei providenciou o sorteio de forma aleatória e automática. O resultado pode ser visto na página da promoção no facebook:

https://www.facebook.com/PaulLaw13/app_165114686916599

O ganhador foi o meu amigo Adilson Rodrigues Monção! Parabéns! Entraremos em contato para acertar os detalhes do envio do prêmio. Obrigado a todos os participantes e fiquem ligados para o novo sorteio!

Abraços.