28 de junho de 2016

A capa e o book trailer de "Por que, pai?"

A editora Penalux me mostrou como será a capa do meu livro "Por que, pai?" que tem previsão de lançamento para este ano. Gostaria de mostrar para vocês:


 clique na imagem para aumentá-la

Temos a capa completa na imagem (orelhas, capa e contracapa). Não ficou o máximo? Outra novidade é que já saiu o book trailer do livro, confiram:


O que acham? 
Abraço. 

24 de junho de 2016

Fezesman - A mesma merda

Clique na tirinha para aumentá-la

20 de junho de 2016

O Vendedor de Histórias - Jostein Gaarder



A maior história é a própria vida

Jostein Gaarder é autor recorrente aqui no blog e a explicação para isso é simples: sua literatura me agrada. O modo como o autor norueguês lida com o fantástico, realizando paralelos inteligentes com o real é muito interessante, além de original. Já resenhei O Mundo de Sofia, O Dia do Curinga, O Enigma e o Espelho, A Garota das Laranjas e A Vida e Breve (clicando nos títulos dos livros você poderá conferir as resenhas). Dessa vez, vou falar um pouco sobre O Vendedor de Histórias. 

O Vendedor de História conta a trajetória de Petter, um homem que tem ideias o tempo todo. Sua mente tem facilidade para criar uma história, engendrar enredos, desfechos e sagas fantásticas, Para não perder sua criação, Petter anota a ideia em um papel, o que chama de "enredo para um romance". Ele não desenvolve a história nos seus detalhes pois acha a tarefa desgastante e chata. Depois de criar, para ele, não tem mais graça trabalhar sobre a criação. Quase que por acidente, Petter conhece um escritor. Conta pra ele um desses enredos para romance e o deixa interessado. Por uma bebida o personagem principal vende a sua primeira história. Com os anos o negócio se expande e vários clientes de peso na literatura começam a fazer uso dos serviços de Petter (que sempre se manteve no anonimato). A coisa cresce tanto que a mesma ideia começa a aparecer em mais de um livro e as pessoas desconfiam de que há alguém criando enredos para os autores. É neste ponto que o cargo de vendedor de histórias fica perigoso. 

Paralelamente ao comércio de ideias, conhecemos um pouco sobre o passado de Petter. Sua infância com a mãe que era divorciada do pai. Suas visitas ao teatro e o gosto por boa música. Quando menino, o protagonista já demostrava incrível facilidade para criar histórias e o seu aproveitamento na escola sempre foi excelente. Os anos avançam na narrativa e o personagem conta sua mocidade, seus romances frequentes e inconstantes até culminar em Maria, a mulher que amor de verdade. O relacionamento não vingou, mas Maria lhe propôs um trato. Queria que Petter a engravidasse. Entretanto, não tinha a intenção de constituir família com o amante. Para Maria, Petter era o melhor homem que conheceu e o ideal para lhe dar um filho. O personagem principal ainda viu Maria e a filha uma última vez. Na oportunidade a pequena Boneca (como Maria chamava sua cria) contava com três anos de idade. Petter contou à Boneca a história de Panina Manina, uma acrobata circense que viveu longe do pai... A saga de Manina, revela-se com ironia, a própria história de Boneca e quando as histórias se cruzam, todo o mundo de Petter desaba. 
             
Gaarder é conhecido por se utilizar de conceitos filosóficos em seus romances. Em "O Vendedor de Histórias" a filosofia é sutil. Talvez se limite ao conceito de acaso. O personagem principal é bem construído e montado para ser um intelectual que sabe do seu valor. Por ser narrador, por vezes sua arrogância impõe dificuldade na leitura. Ele tem uma visão egocêntrica de certas coisas e não parece se preocupar muito com os outros. Isso é proposital e tem a ver com o desfecho da história. O seu tombo é grande e a lição edificante. Um bom banho de humildade... 

O Vendedor de Histórias não é o melhor livro de Gaarder, mas tem o seu valor. Principalmente no que tange ao "enredo real" da história. Chamo de real a história do próprio Petter, já que há muitos outros enredos descritos no livro. São as histórias que o protagonista inventa para vender. Tirando a de Panina Manina, não gostei das outras histórias. Achei-as desconexas com a literatura existente em outras obras de Gaarder que sempre prezaram pelo lúdico, pela estética e fantasia. 

Em suma, uma obra bem escrita como se espera do autor de O Mundo de Sofia. Um final surpreendente e perturbador, mas um miolo maçante e custoso a ser superado. 

Fica a resenha e a dica.            

13 de junho de 2016

O décimo capítulo de Estela está publicado gratuitamente


Olá, amigos. Gostaria de compartilhar com vocês uma novidade. Está no ar, através do Wattpad, mais um capítulo inédito do meu livro Estela. Trata-se do décimo, confira no link:


Com este, já temos um bom número de capítulos do livro disponíveis de forma gratuita. Percebam:


Ah, se vocês quiserem ler o livro todo é possível adquiri-lo em e-book por apenas R$ 1,99 ou o livro físico por R$ 26,00:



Espero que apreciem a leitura deste novo capítulo. 
Abraço.

1 de junho de 2016

Grupo Inspirados precisa de ajuda para lançar Certas Coisas



Tem um pessoal jovem de Mogi Guaçu que faz bonito nas escolas, cantado rap. As músicas são de própria autoria dos garoto. Eles não estão sozinhos, já que a banda hoje é formada por 6 integrantes: Antonio Moreira "Jamelão" (percussão ), Igor Siliano (teclado), Luis Henrique (violão e voz), Rodrigo Guaripuna (Percussão e voz), Alberto Paschoalleto (baixo), Renan Mazzinghy (baixolão). 

Olha o som deles:



No soudcloud você pode ouvir mais músicas dos Inspirados:


A minha preferida é esta aqui:



Eles estão com músicas novas e prontos para lançar o EP Certas Coisas, mas precisam de apoio financeiro para tanto. A Campanha está no Catarse:


Para mim que estive em uma apresentação do grupo e sou amigo do baixista é muito gratificante apoiar o projeto. Acredito de verdade no talento dos meninos e tenho orgulho de saber que somos conterrâneos. 




Ajude também! 

Abraço.