27 de maio de 2013

As 100 Melhores Histórias da Mitologia

 

Os deuses greco-romanos nos dias de hoje

As 100 Melhores Histórias da Mitologia é um livro novo que resgata assunto velho. A obra de quase 700 páginas trás 100 histórias mitológicas adaptadas para os leitores atuais, num jogo interessante de textos. Contos narrados em terceira pessoa, em primeira, epopeias, peças de teatro, tudo estrelado pelos deuses greco-romanos e heróis.

Os Autores A.S.Franchini e Carmen Seganfredo são responsáveis pela maior série de contos mitológicos do Brasil. Dentre o trabalho da dupla destaca-se “As 100 Melhores Histórias da Mitologia” por trazer como personagens principais os afamados deuses gregos. Mas não se engane, você não vai encontrar Zeus no livro, nem Hades ou Atena. Os autores optaram por usar os nomes romanos dos deuses. Assim, Zeus é Júpiter, Hades é Plutão e Atena é Minerva. A justificativa é simples e está no prefácio: as adaptações foram baseadas em textos romanos, mais modernos e melhores trabalhados.

O livro tem sua cronologia, narrando desde a queda dos Titãs, perpassando pela consolidação de Júpiter como deus-mor, seguindo com seu casamento, suas famosas “puladas de cerca” (literalmente falando, já que o pai dos deuses numa dessas, se metamorfoseou em touro e pulou cercas para raptar a pobre, mas bela Europa), o nascimento de seus principais filhos e demais histórias do panteão divino.

A obra não fica apenas nos deuses. É relatada também a história da humanidade que vez ou outra acaba sendo interferida por um dedo divino. É assim com Pandora, criada pelo horrendo Vulcano e que trás ao mundo todos os males. Júpiter teve um acesso de inveja do homem feito de barro criado por Prometeu e mandou o filho criar um humano melhor. Este humano melhor era Pandora. Ela ainda foi incumbida de portar certa caixa que não deveria ser aberta. Só que o patriarca dos deuses sabia da curiosidade dos homens e previu que ela abriria. Dito e feito e cá estamos com todas as doenças.

Tem a famosa Guerra de Troia com todos os seus prelúdios e consequências. Desde o motivo que desencadeou a desgraça de Troia, que tem a ver com o fato de o pobre Páris ter escolhido dentre Juno, Vênus e Minerva, a deusa que merecia o Pomo de Ouro cedido pela Deusa da Discórdia. O jovem filho do rei de Troia escolheu Vênus, mas a deusa não foi honesta na disputa, vejam vocês. Vênus pediu ao seu filho Cupido que fizesse Pária apaixonar-se por Helena que era casada com Menelau. Para vencer a disputa, ofereceu ao filho de Príamo o amor da belíssima (como é de praxe) Helena. O príncipe aceitou a oferta e tudo começou aí.

Os personagens da Guerra de Troia são inseridos com precisão e suas histórias narradas paralelamente ao avanço do empate. Do lado dos aqueus temos o rei e esposo traído Menelau, seu irmão Agamenon, o engenhoso Ulisses e o herói Aquiles. Do lado de Troia, o rei Príamo, seus filhos, dentre eles o primogênito Heitor e o raptor de Helena: Páris. Não há um personagem que não tenha sua história narrada do começo ao fim. Helena, por exemplo, é mostrada como esposa fiel de Menelau, depois como adúltera, amante do jovem Páris. No decorrer da guerra é o pivô central da disputa tanto por ser responsável pela mácula na honra do rei grego como por ser amada pelo príncipe de Troia. Menelau lava sua honra suja pelos troianos e decide perdoar Helena, restituindo-lhe como rainha. Mas não se engane, a bela Helena não teve muita sorte depois da morte do esposo rei; morreu enforcada por quem lhe tinha inveja, depois de um banho de riacho. Morreu limpa, como era seu desejo.             

O mesmo se pode dizer dos outros envolvidos na guerra. Cada qual tem toda a sua história relatada nas páginas de “As 100 Melhores Histórias da Mitologia”. Os feitos de Aquiles, sua morte pela flecha de Páris guiada pelas mãos do deus Apolo que atingiu o único local do corpo do herói que era vulnerável, o calcanhar, porque era por onde sua mãe, a deusa Tétis, tinha lhe segurado quando bebê, a fim de banhá-lo nas águas do rio que nasce no Hades. Quem fosse atingido por aquelas águas tornava-se invulnerável.  Os autores seguem depois da guerra de Troia narrando os feitos dos sobreviventes e terminam com Hércules, o filho bastardo de Júpiter. A morte do herói é o último conto.

Em palavras simples, conhecer os mitos que povoaram a mente dos homens nos primórdios da história, é conhecer um pouco do mundo perdido ou não. As 100 Melhores Histórias da Mitologia tem a função de trazer aos novos leitores aquelas histórias que sempre serviram de inspiração para outras histórias. Com uma narrativa rica e variada, adquirida com muito estudo e cuidado para se fazer atual, A.S.Franchini e Carmen Seganfredo resgatam um tesouro. É de grande fascínio conhecer um pouco de mitologia. O leitor acaba associando aquilo que lê com histórias bíblicas e com grandes histórias famosas. A premissa de que as histórias se adaptam ao longo dos anos e se repetem de forma a se manterem vivas se aplica aqui.

Ótima leitura! Fica a dica e a resenha.

Abraços.        

24 de maio de 2013

Antologia de contos do Deutsche Bands

 

© messofmemoriesxX

O site Deutsche Bands, especializado em bandas alemãs, como o próprio nome já diz,  está com uma promoção interessante para quem gosta de escrever. O site organizará uma antologia de contos e presenteará os autores escolhidos com um exemplar. Ainda há a chance dos textos serem divulgados no blog do site.

Eis o regulamento:

http://dbands.com.br/2013/05/quando-a-literatura-encontra-a-musica

Como o Deutsche Bands é relacionado à bandas alemãs, os contos devem também possuir relação com este tema. Entretanto, como é explicado no regulamento, esta relação não limita a criatividade nem a liberdade do escritor. É uma proposta nova e um exercício válido para a criatividade, não acham?

Eis o link da promoção no site:

http://dbands.com.br/promocoes

No próprio espaço é possível conhecer sobre o tema e também obter ajuda com a promoção. O que está esperando para tem o seu conto publicado e ainda ganhar um livro com ele de presente?

Fica a dica e o abraço. 

21 de maio de 2013

Personagens de Rainha: Bruno Vieira Junior

20130307_154200

Bruno Vieira Junior: é ex-delegado de polícia, fumante, alcoólatra que acabou sendo contratado para investigar o passado de Rafaela Arantes Siqueira. Marcado por tragédia leva uma vida desregrada, de martírio e loucura. Tudo ganha novo sentido depois da curiosa contratação; um novo objetivo, um mistério que pode mudar toda a sua vida. 


Passagens de Bruno
“Quando voltou a si, estava com um contrato assinado na frente dos olhos, sobre a mesa. Era o seu contrato padrão de prestação de serviços investigativos, a menina havia desaparecido. Remexendo o documento, Bruno constatou o estranho, havia sido contratado e não se lembrava de como. Nas linhas que qualificavam sua cliente lia-se Rafaela Arantes Siqueira.”

“Música invadiu o salão, Bruno não estava gostando daquilo. Ao fitar Rafaela ele podia perceber que ela não estava bem, seu semblante dizia. Os olhos se moviam assustados, ele queria salvá-la. Levantou-se, mas muitos garçons e dançarinos entraram no salão, impedindo-o de vê-la, de chegar perto. A situação tardou a se normalizar e ele suspeitou que fosse proposital, não podia ver os membros-mores. Quando tudo se acalmou, para a sua surpresa e apreensão, não havia mais ninguém nas cadeiras do andar superior.”

“Os pensamentos foram afastados e Bruno concentrou-se. Fitou Yuk, a sala havia se tornado um tatame, vazia. Frente a frente estavam aquelas duas pessoas perdidas; aqueles lutadores; era só o que eram. Ele vestido com camiseta regata branca e calça de moletom azul. Ela de mine-blusa negra e shorts branco, descalça.”

13 de maio de 2013

Rainha por 1,99

 

Rainha

Com um pouco mais de quinze dias para o lançamento oficial de Rainha, tenho um a notícia muito legal para dar. O e-book do título já está disponível para ser adquirido! Isso mesmo, antes do lançamento oficial já é possível ler o livro na sua versão digital.

Coadunando com a minha política de leitor e autor que consiste em buscar o acesso fácil à cultura, disponibilizo o meu livro inédito pelo simbólico valor de R$1,99. É o preço mínimo que se pode colocar em um e-book pelo Amazon. Esta prática já é adotada com os meus outros títulos Ester e Edissa.

O e-book foi criado pelo web design, programador e escritor Fagner JB.  A intenção é fornecer aos leitores um meio prático e vantajoso para leitura. Eis o link do e-livro:

http://www.amazon.com.br/Rainha-ebook/dp/B00CQ8MVGA/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1368453496&sr=1-1&keywords=rainha

Uma curiosidade é que Rainha também está no Amazon.com e em todos os países que possuem a língua portuguesa como idioma oficial. Em todos os lugares, pelo preço mínimo possível.

Corra lá! Confira Rainha antes de todo mundo por 1,99!

Abraço.

10 de maio de 2013

2º Sorteio da Promoção “Ester na minha casa” já está no ar

 

banner promoção2

 

Depois do sorteio do primeiro exemplar clássico de Ester que acabou saindo para Franciele de Santana, o segundo sorteio foi programado. Na página do Facebook contém as regras para concorrer, veja lá:

https://www.facebook.com/PaulLaw13/app_165114686916599

As regras não mudaram muito. A única observação diz respeito ao pessoal que já segue a página. Elas só precisarão compartilhar o link do sorteio para concorrer, já que curtiram a página por conta do primeiro sorteio.

Aos demais a coisa não muda: devem curtir a página e compartilhar o sorteio. O aplicativo que realiza o sorteio está programado para inscrever os participantes que cumprirem essas condições. Então, o que você está esperando para concorrer?

Detalhes da promoção aqui.

Abraço.  

8 de maio de 2013

O Varal do Brasil no Salão Internacional do Livro 2013

image001

O Varal do Brasil é um projeto muito bacana de escritores nacionais que estão no exterior. Tem uma revista que divulga os autores brasileiros pelo mundo e todo ano vai ao Salão Internacional do Livro de Genebra. Este ano foi especial, pude perceber pela mensagem que recebi da organizadora Jacqueline Aisenman  relatando cada dia de evento. Peço licença para transcrevê-la:

Sábado, dia 27 de abril: inicia-se o período de montagem para a feira do livro que dali a poucos dias abrirá suas portas para o público.

Entro, vejo o estande, maior do que aquele que tivemos em 2012 e me encho de ansiedade: nossa! Quanta responsabilidade! Mas começamos então: limpeza, ordem dos móveis, preparação.

Domingo, dia 28 de abril: lá vamos nós novamente para o Palexpo, local onde acontecerá o evento. Desta vez vamos carregados de livros, caixas e mais caixas de livros. É importante que estejam bem embalados, separados, prontos para ir para as estantes que hoje montamos com afinco.

Segunda-feira, dia 29 de abril: com as estantes montadas iniciamos o melhor de tudo, ou seja, colocar os livros no lugar. Um por um, os livros vão para os seus lugares (de onde, metodicamente, serão trocados diariamente durante os dias de evento). Mais limpeza, mais ordem, mais preparação.

Terça-feira, dia 30 de abril: os livros estão nas prateleiras, vamos trazendo aos poucos todos os objetos que farão parte do nosso ambiente durante os próximos dias. Muito cuidado para não esquecer nada. E alegria de ter autores já chegando, encontros que já acontecem!

Quarta-feira, dia 1º de maio: Ainda não são oito horas e já estou no local. Tiro o pó, ajeito os livros, preparo a mesa para os primeiros autógrafos do dia. Dali a pouco mais de uma hora e meia as portas se abrirão para o 27º Salão Internacional do Livro de Genebra. Autores chegarão de várias regiões do Brasil e da Suíça, de Portugal, da Bélgica, da França, da Suécia. O público “invadirá” o Salão e estará aberta a maior feira literária da Suíça!

E tudo começou assim. Foram cinco dias maravilhosos, produtivos, felizes, dias onde mais uma vez se percebeu que trabalhar vale a pena, que todo esforço é recompensado.

Diretamente da Bahia autografou o jornalista e escritor Valdeck Almeida de Jesus que já estava conosco no ano passado. Seus livros Memorial do Inferno, Sim, sou Gay e Daí?, juntaram-se aos novos livros: Fala Escritor, Abre a Boca Calabar e Prêmio Valdeck Almeida de Jesus.  Em seguida tivemos, vinda de Bienne, Suíça, a alegria em seu estado mais puro, Lúcia Amélia Brullhard, que lançou o livro infantil Mada-Leninha e o Desaparecimento de Bubu, em Português e em Francês. Lúcia Amélia, através de seu novo livro, faz um alerta e mostra às crianças e aos pais a importância de estar atento sobre esta questão de desaparecimento de crianças. Vinda de Minas Gerais, a doce Deucélia Maciel nos presenteou com seus livros infantis Léa e Lua, Bento Bentinho e seu mais novo lançamento, A Biblioteca Encantada. Deucélia, sempre assessorada por seu esposo e grande companheiro, o escritor Carlo Montanari, fez a alegria de muitas crianças. Em seguida, tivemos a aura de paz que invadiu o estande através de Eder Roberto Dias, autor de muitos e muitos livros e que apresentou seu romance O Amor Sempre Vence. Assessorado pelo eficiente Luis Gomes, Eder conseguiu passar a todos os visitantes uma energia muito positiva com suas palavras de confiança, fé e alento. Logo depois, ainda neste primeiro dia, tivemos a organizadora da antologia II Coletânea Poetas Fazendo Arte em Búzios, Sonia Medeiros Imamura, que trouxe com ela, através de um banner, todos os participantes do livro. Autografou no mesmo momento o cantor e compositor carioca Marcos Assumpção, que também tem seus versos no livro. O primeiro dia encerrou suas sessões de autógrafo com a potiguar doce e inteligente, Jania Souza. Jania apresentou ao público três de seus livros: Magnólia a Besourinha Perfumada, Rua Descalça e Fórum Íntimo. Nem é preciso dizer que Jania conquistou a todos e ainda nos presenteou com antologia organizada por ela no Rio Grande do Norte.

A quinta-feira iniciou suas sessões de autógrafos com a fotógrafa paulista Leni André que trouxe o livro Cores de São Paulo. Um livro de fotografias onde São Paulo é totalmente dissociada de sua imagem cinzenta e chega aos olhos do público colorida e alegre. A talentosa Deucélia Maciel retornou para autógrafos e logo após iniciou-se o lançamento do livro Viagem pelo Mundo, coletânea infantil organizada pela incrível presidente da Associação Literarte, Izabelle Valladares. Presentes para o lançamento, os escritores Ana Maria Stoppa, Deucélia Maciel e Carlo Montanari. Continuando as sessões de autógrafos tivemos então Jan Bitencourt, vinda de Jundiaí, São Paulo, uma faísca de juventude e alegria que invadiu totalmente o estande e todos os demais, autores e visitantes. Com seu talento comprovado no livro Versão Beta, Janine distribuiu savoir-faire. Logo em seguida tivemos a presença de Clara Machado que esbanjou não só simpatia, mas energia muito positiva ao apresentar seus livros de autoajuda Se a vida te der um limão, A Paz DOeu, Da água para o vinho e O Despertar da Delicadeza. Enquanto aguardamos para daqui a alguns meses o seu novo livro sobre o sofrimento das mulheres na época da ditatura (Almas Feridas), pudemos constatar o sucesso de Clara com o público. Voltou logo depois à cena a Literarte, com sua Conselheira Representante Dyandreia Portugal e as autores Adina Worcman, Betty Silberstein e Myriam Loureiro que lançaram com muito êxito o belíssimo livro Elas Pintam, Elas Pensam. O livro, em sua versão em Inglês e apresentação luxuosíssima, destacou-se e destacou as participantes, mostrando a arte brasileira em suas mais belas formas. Dyandreia, aliás, veio com seu jornal e SEM FRONTEIRAS fazer a cobertura da participação do Varal do Brasil no evento. Dedicação, simpatia, muitas mais seriam as palavras para descrever o profissionalismo e atenção de Dyandreia Portugal.

Após um dia intenso fomos todos para o restaurante Les Brasseurs, onde aconteceu maravilhosa confraternização. Muitos declamaram, cantaram, discursaram. Foi emocionante! E a voz de Marcos Assumpção cantando sonetos de Florbela Espanca musicados por ele invadiu a todos nós e nos preencheu de harmonia.

A sexta-feira chegou com o talento de Roselis Batistar e o frescor de Rita Varino (Ainoha Leporello). Roselis, professora universitária na França e que já viveu e lecionou em países como México e Rússia, presenteou-nos com seu talento poético através dos livros Cristais de Orvalho, Lírica nem sempre amorosa (ambos bilíngues Português e Espanhol) e também o livro Compromisso com a Verdade, meio século de jornalismo, escrito com e para seu pai, o jornalista Oduvaldo Batista. A juventude de Rita Varino, autora portuguesa vinda de Portugal, foi como uma primavera dentro do estande. Rita, em seu livro de poesias Fragmentos de uma alma, mostrou doçura e maturidade. Momento de euforia, a sessão de autógrafos da autora Irma Galhardo, de Tocantins e da ilustradora Narubia Werreria Iny, representante da tribo Karajá. As duas representantes da cultura do belo estado de Tocantins incendiaram o estande com flores e cores e com as belíssimas bonecas Karajá. Narubia fez pinturas índias no rosto de vários autores e de várias crianças. Uma festa!  Saskia Brígido, cearense de Fortaleza, esbanjou sorrisos e sua alegria contagiou as crianças. Seus livros, As Férias de Analuz, O Jardim Secreto de Analuz, Uma Cidade no Fundo do Mar e Pedagogia do Encanto, literalmente encantaram a todos. Voltou para nos encantar com seu talento Jania Souza e autografou também nesta tarde Gorete Newton, vinda da cidade suíça de Winterthur. Gorete trouxe o livro Ostracilda, a ostrinha infeliz. O livro Ostracilda, em seis idiomas, foi parar nas mãos de muitas crianças que dali saíram muito felizes. Tivemos logo depois o dinamismo e a coragem de Jô Ramos, vinda do Rio de Janeiro, que com seu livro Violência contra a Mulher, dê um Basta! falou sobre a triste realidade que ainda nos dias de hoje acontece com centenas, milhares de mulheres em todo o Brasil e também brasileiras no exterior, que sofrem com a violência.  Em seguida autografou o autor pernambucano Samuel Lira que nos trouxe o seu talento, sua simpatia seu livro onde realiza uma instigante discussão teórica, trazendo como objeto de estudo a obra de Gilvan Lemos, o Anjo do Quarto Dia. Autografou logo depois a autora Flávia Assaife, autora nascida em Brasília e residente no Rio de Janeiro. Flávia, que já havia nos brindado com sua presença no ano passado, assim como Valdeck Almeida de Jesus e Lúcia Amélia Brulhardt, veio este ano lançar três livros: o já apreciado Viajantes da Lua, seu novo livro Segredos do Coração e o infantil Princesa Júlia e o Guerreiro Artur. Flávia Assaife, autora que a cada dia se firma mais no cenário literário nacional, deixou por aqui sua indelével marca! Pela primeira vez na Suíça tivemos a oportunidade de apreciar e comprovar o talento do escritor Paulo Levy, nome já consagrado nacionalmente no Brasil por seus livros Réquiem para um assassino e Morte na Flip. Paulo Levy, que já impressionou os críticos e leitores por todo o Brasil com seu detetive e seus romances policiais, mostrou que a língua não é barreira quando o talento é mestre. Fechamos a sexta-feira com um coquetel e o lançamento internacional do livro Varal Antológico 3, terceira coletânea da revista Varal do Brasil. Com a presença dos coautores Jania Souza, Dyandreia Portugal, Flávia Assaife, Caroline Baptista Axelsson, Luiz Carlos Amorim e Roselis Batistar, pude, feliz, lançar aos três anos e meio de existência da revista Varal do Brasil, esta celebração de nosso trabalho. Ao final da apresentação o livro foi distribuído ao público presente.

Nosso sábado iniciou-se com os autógrafos da autora de Búzios Sonia Medeiros Imamura e do catarinense Luiz Carlos Amorim. Amorim, vindo diretamente de Florianópolis, veio nos brindar com a apresentação de seu novo livro O rio de minha cidade e também com os livros Borboletas nos jacatirões e Nação Poesia. Trouxe-nos também a revista do Grupo A Ilha, edição especial sobre o Salão Internacional do Livro de Genebra e que foi distribuída aos presentes, autores e visitantes. Presença do Paraná, Leonia Oliveira veio de Curitiba lançar seus livros Trigo e Astrolábio. Também autografou O Fio de Ariadne e Guia prático do pior vendedor do mundo. Autora de peças de teatro entre outros estilos, Leonia vem consolidando-se com um talento seguro a ser seguido e admirado. Vencedora de prêmios, tendo um de seus livros o projeto de se tornar filme no próximo ano, a autora do Espírito Santo Tamara Ramos irradiou simpatia entre os autores e demais presentes. Autora de Um neurótico no divã (sucesso nacional no Brasil), do livro de fantasia Fiona e o Jardim Secreto e do seu mais recente lançamento Um tango para Alice (que será transformado em filme), Tamara trouxe ainda, para alegria dos visitantes, canecas e almofadas caracterizadas com imagens de seus livros. Leni André, Saskia Brígido e Gorete Newton, Jan Bitencourt, Irma Galhardo, Narubia Werreria Iny e Roselis Batistar voltaram a nos alegrar com suas presenças e Paulo Levy, que uma vez mais autografou conosco viu-se diante de um quase dilema: poucos exemplares do livro Morte na Flip ali estavam pois todos já tinham saído! Veio também brindar nosso estande, vinda diretamente da Bélgica, a autora portuguesa de livros infantis Dulce Rodrigues. Dulce, que é autora de muitos títulos já conhecidos do público europeu, escreve em Português, Francês e Inglês, tendo sucessos como Era uma vez uma casa e Papai Noel está gripado.

Nova confraternização no sábado a noite reuniu autores, novos amigos, admiradores que pelo estante passaram... e ficaram!

E enfim chegou o domingo, o último dia! Neste dia tivemos o retorno de Valdeck Almeida de Jesus, Eder Roberto dias, Jô Ramos, Leonia Oliveira, Clara Machado, Tamara Ramos (que também viu-se praticamente sem livros!), Dulce Rodrigues, Luiz Carlos Amorim, Saskia Brígido! E tivemos a forte presença da piauiense residente no Rio de Janeiro, a escritora Ana Rocha com seu pungente livro sobre as trabalhadoras brasileiras: As Trabalhadoras da FAET que conta o drama atual das mulheres que trabalham fora, em indústrias principalmente e ainda têm que dar conta de tanto mais nas suas duras vidas.

Na alegria do ambiente de nosso estande tivemos a enorme e grata surpresa de receber a visita do renomado escritor internacionalmente conhecido Paulo Coelho. Paulo Coelho, que ouviu falar de nosso trabalho através do amigo comum Luis Gomes, veio ao Salão do Livro expressamente para conhecer o Varal do Brasil. Sua visita foi emocionante e gratificante, ainda mais quando, pouco tempo depois de sua partida, voltou Paulo Coelho ao estande e me apresentou a Presidente do Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra, Isabelle Falconnier.

Emocionante! Palpitante! Fantástico! Estas, entre outros eram as palavras utilizadas para descrever como seria o Salão 2013. Pois posso, sinceramente, dizer isto e muito mais do que foi para nós estar presente com nosso estande VARAL DO BRASIL.

Cumprimos nosso objetivo: divulgamos nossos autores, apresentamos nossos talentos! Levamos mais longe a nossa Língua Portuguesa!

Com harmonia, alegria, muita emoção, terminamos nossa participação. Sete e meia da noite cantávamos, já desmontando: Ai, ai, ai, está chegando a hora... e lágrimas, muitas lágrimas já de saudade banharam nossos rostos felizes.

Fotos todos os dias em nosso blog: www.varaldobrasil.blospot.com

Fotos na página do Varal no Facebook: http://www.facebook.com/varaldobrasil

Fotos em breve em nossa página: www.varaldobrasil.com

Gostaria de parabenizar o Varal do Brasil pela iniciativa tão importante e a todos os autores participantes!

Abraço.

7 de maio de 2013

Resenha de Ester no Rabiscos e Fragmentos

 

Olá, amigos! A postagem de hoje é especial. Serve para transcrever a resenha feita de “Ester” pelo blog Rabiscos e Fragmentos. Vamos a ela?

Sinopse: Adentrando num mundo aparentemente fantasioso, a protagonista Ester se vê perdida de casa e de tudo que conhecia como possível. Sua condição infantil a ajuda a se adaptar às fantasias que passa a conhecer enquanto busca encontrar o caminho de volta para casa. Numa aventura que envolve personagens inusitados como Baltazar que morre todos os dias, Maria Falsa que não consegue ser verdadeira e uma população chamada de Povo dos Braços Virados que possui os cotovelos para o lado de dentro dos braços, Ester depara-se com problemas que afligem todas as pessoas. Contudo, com sua bondade resolve-os com simplicidade e ainda nos ensina. O autor quis e quer mostrar-nos uma pessoa simples quase que inexistente na nossa sociedade contemporânea, pois Ester é simplesmente uma criança com boas intenções sem se preocupar com as consequências de seus atos. Trata-se de uma criança que cria o seu mundo através de sua formação simples e que muito nos ensina por ser exatamente assim: bem intencionada. Talvez curto, ou quem sabe propositalmente insuficiente para nos esclarecer todas as questões que envolvem a trama, Ester termina de maneira inesperada saindo bruscamente da fantasia para adentrar na realidade. Entendo que o autor quis nos deixar imaginar... 

Leia sempre nas entrelinhas!

Assim como Lewis Carroll criou um mundo novo para seu Alice no País das Maravilhas e L. Frank Baum para seu Mágico de Oz, Paul Law representando-nos nacionalmente e atualmente, criou um mundo fantasioso para que sua personagem Ester pudesse cumprir seu propósito de vida, e o autor não errou. Criando personagens tão cativantes e palpáveis quanto a palha de um famoso espantalho sem cérebro.
Ester é uma garotinha que está perdida numa terra desconhecida habitada por seres que são semelhantes aos humanos, mas que suas ações não condizem com isso. O primeiro personagem que Ester tem contato nesse mundo é Baltazar, que além de morrer todos os dias assassinado por uma tropa de soldados, não tenta fugir disso já acostumado com sua triste sina.
Ester não pensa em outra coisa ao não ser voltar para sua casa, para seu mundo. Para ajudar a menina, Baltazar leva ela a um homem que ganha vida fazendo negociações, e em troca de um mapa que a ajudaria voltar para casa, Zeca (o negociador) lhe pede em troca uma coisa bastante peculiar, que apesar de Ester a valorizar muito, ela acha que o mapa seria mais importante.
A partir daí, a personagem conhece outras personagens que embarcam numa aventura que o sentido de cada capitulo nós encontramos nas entrelinhas. Ester junto com sua boneca e amigos que ela vai encontrando pelo caminho, tentam mudar esse mundo onde todos são submetidos as ordens e as vontade de um ser denominado Soberano.
Soberano é dono do exercito vermelho que tomam conta para que nada seja feito contra as ordens e vontades de seu líder.
Você percebe um novo sentido para toda a estória no final do livro. Eu achei que tudo se esclareceu para mim, e o livro cheio de reviravoltas e cadeados sendo abertos toma um sentido ainda maior na ultima parte. Comecei e não consegui parar de ler até terminar, o livro me prendeu mesmo. É uma narrativa fluente. Paul conseguiu me surpreender bastante com sua escrita e com seu mundo criado para Ester. Recomendo demais! 4 estrelas.

Não é legal? Gostaria de deixar registrado aqui também o meu agradecimento ao Allison Feitosa, o responsável pela resenha e pelo blog Rabiscos e Fragmentos.

A resenha original pode ser lida aqui.

Você pode ganhar um livro Ester se participar da nossa promoção! Clique aqui para saber como!

Abraços!

2 de maio de 2013

Trecho inicial de “Rainha”

 

Falta menos de um mês para o lançamento de “Rainha”! Na página do Facebook foi disponibilizado as primeiras palavras do livro. Trata-se do capítulo denominado “Prólogo” na íntegra, confira lá, pelo aplicativo “Trecho do Livro”:

 https://www.facebook.com/PaulLaw13/app_149560218457909

Nesta pequena introdução é apresentada “Raira Brenemberg”, a personagem que interliga todos os demais na trama. Ela é, também, a homenageada no título do livro. Espero que gostem!

Forte abraço.