27 de outubro de 2010

Dom Casmurro de Machado de Assis



Capitu traiu mesmo Bentinho?

Essa, com certeza, é a pergunta mais interessante que eu quis responder, vez que, com toda a habilidade de Machado de Assis, torna-se quase impossível responder a questão primordial do livro.

Capitu, é uma personagem singular em alguns aspectos e muito parecida com a maioria das mulher em outros. Ela guarda infinito mistério nos olhos de ressaca, como dizia nosso finado amigo José Dias. Não é novidade, que foi esse mistério, essa incógnita de personalidade que atraiu Bentinho. Ela sempre fora alguém que não se podia prever uma atitude e isso fascina.

Nosso Bentinho, por sua vez, sempre fora um sujeito indeciso; um submisso ás atitudes da mãe. O que o fazia melhor, era sua imaginação. Talvez ela, houve de traí-lo quando lhe forçou a deduzir pela traição de Capitu, ou não.

Confesso que mesmo admitindo a traição de Capitolina, senti pena dela. Ela conseguiu, com seus gestos e atitudes de mulher ainda que adúltera, mas íntegra (e como conseguiu?), ludibriar-me; acho que a todos que a conheceram nas páginas de Dom Casmurro. Ela é mesmo um mistério.

Quando Bento, não suportando mais a presença da esposa a manda para a Europa junto de seu suposto filho, ela não repudiou; não reclamou. Defendeu-se com elegância,como todas as mulheres devem fazer. Ela foi, de longe e sempre, superior a Bentinho e acabou morrendo com sua dignidade intacta. (mesmo adúltera aos olhos do marido).

A questão principal não foi se Capitu traiu o marido, mas sim como ela pôde fazer isso, se fez, e manter toda a beleza e dignidade que tivera antes. Vai aí, ímplicita, como muito que há nas letras de Machado, uma dica para todas as mulheres. Para nós leitores, fica a admiração.

Contudo, mesmo achando irrelevante a traição, vou argumentar pelo que acho. O menino Ezequiel tinha as fuças do amigo morto Escobar, segundo Bentinho. Um pai, de acordo com minha experiência, reconhece seu filho e Bentinho não viu Ezequiel como tal. Capitu sempre fora senhora em dissimulação, vide o início do livro, quando dissimulava os beijos com Bentinho. Porquanto, era misteriosa e para quem esconde-se em si, não se pode concluir tanto para bem quanto para mal.

Por outro lado, Escobar sempre me pareceu muito leal ao amigo. Não acredito, que teria coragem de traí-lo dessa maneira. Mas não podemos deixar de atentar para o fato de o falecido ser comerciante e essa raça é de atos suspeitos, digamos assim. Enfim, não há como atestar com veemência se houve adultério ou não. Contudo, torna-se desnecessário sabê-lo, bastando a possibilidade de existi-lo e mais: Bentinho tornou-se vilão e a adúltera vítima e mocinha. Palmas às mulheres!

25 de outubro de 2010

Gaian-O Reinício de Cláudio Manoel




Falando mais uma vez de livro eletrônico, hoje vou trazer para vocês uma história bem legal, narrada pelo promissor escritor Cláudio Manoel de Almeida. Trata-se de Gaian-O Reinício, saga medieval que narra as aventuras, guerras e filosofias que ocorrem em um mundo fantástico. A trama se desenrola depois de um presságio da personagem Elhen no qual malefícios para todos de sua cidade é anunciado. Os outros conselheiros não dão crédito ao líder e ele se vê sozinho com sua premonição. Tudo muda quando as coisas começam a acontecer... 
Assim é Gaian: um livro maduro muito bem estruturado e desenvolvido pelo seu autor. Quando se está em suas páginas não há como deixar de notar o trabalho cuidadoso de Cláudio. Toda a sua preocupação com ambientação e detalhamento. Não é uma história amena para leitura. Exige do leitor comprometimento, como nos ensinou Dunga. O livro está completo e é possível lê-lo na íntegra no domínio da Bookess Editora e aqui no blog, já que este é o E-book do mês! Gostaria de saber a opinião de vocês sobre este livro que lembra muito o Senhor dos Anéis de Tolkien. 

Abraços!

21 de outubro de 2010

Publicando: Editora Draco




Na terceira postagem da série "publicando", vamos conversar um pouquinho sobre a Editora Draco, até conhecida do pessoal que deseja iniciar carreira literária. Quando se fala nesta editora, é inevitável não associá-la ao gênero literário fantástico e daí o seu grande sucesso e procura. Atualmente há uma grande produção literária relativa à fantasia tanto em nosso país quanto fora dele e isso se dá porque os leitores estão interessados neste tipo de leitura. Eu também acho muito legal literatura fantástica!

O que você quer saber é como ser um autor da Editar Draco, não é mesmo? Pois bem, para começar esta editora preza muito pela qualidade dos textos e pelo cuidado que o autor tem com eles. É importante que antes de enviar seu original para a editora, você o tenha bem diagramado, em tamanho A4 e em fonte legível. Revise o texto você mesmo, ou peça para alguém fera em português fazer isso para você, antes de enviá-lo, está bem? Acho que este tipo de cuidado é prudente para enviar original seja qualquer editora. Lembre-se: o empenho que você emprega no texto é sentido pelos editores.

Depois de deixar o texto certinho, você deve enviá-lo por e-mail à editora. Eis o endereço:

Daí vem a parte chata da história: esperar pelo menos seis meses para saber se seu livro foi aprovado. Transcorrido este período e nada de resposta considere que seu original não foi aprovado pela editora. Você só vai receber alguma resposta caso ela seja positiva. Alerto para o detalhe importante: o tempo mínimo para avaliação é seis meses, o que significa que pode demorar mais que isso para você receber uma notícia positiva.

É possível enviar originais pelo correio, mas a editora aconselha a não fazê-lo, pois por meio eletrônico a avaliação se dá de maneira mais eficiente. Não é possível saber com certeza se o autor arcará com algum custo de publicação caso seu livro seja aprovado, mas presumo que não, dada as informações contidas no site da editora. Assemelham-se ao padrão editorial em que o autor não paga nada para publicar e tem direito a uma porcentagem das vendas de seu livro.

Quer conhecer as regras de publicação na íntegra?

Minha opinião é que a editora apresenta um catálogo de obras muito interessantes e trabalha bem a divulgação de seus autores. É uma opção a se considerar para os novos autores, ainda que pareça demorado o tempo de avaliação. A paciência é uma virtude que o escritor tem que aprender a ter, caso ainda não tenha. Que está esperando? Arrume seu texto e mande para a Editora Draco!

Até a próxima postagem!

19 de outubro de 2010

Concebendo seu Próprio E-livro II



Pois bem, hoje vamos falar um pouco de outra maneira de se ter um livro no meio eletrônico. Trata-se do E-livro da Bookess. Para aqueles que não conhecem ainda, a Bookess é uma editora nacional que presta valioso serviço de edição, divulgação e publicação de livros tradicionais e eletrônicos. Inicialmente ideia de um jovem visionário que imaginou a possibilidade de agregar em um site, livros para leitura. Amadurecido, o site deixou de ser um simples portal em que se podia ler livros de domínio público e também obras de autores amadores para ser uma editora voltada à produção de livros sob demanda.
Que ver do que estou falando?

Mas explicar como funciona a produção de livros pela Bookess é tema para outra postagem. Estamos aqui para falar da possibilidade de se criar um E-livro no domínio da editora. É muito simples ter seu livro eletrônico na Bookess, basta para tanto fazer seu cadastro no site da editora e upar ser arquivo de texto. Eis as instruções:

Tal qual o sistema apresentado anteriormente, este possibilita que o autor divulgue seu E-livro em blogs e em redes sociais, angariando mais leitores. O mais legal é que se pode vender a versão digital dos livros e até ganhar uma grana se você tiver uma boa gama de leitores. É um sistema visionário, que ainda vai dar muito que falar, só que é preciso que os autores sejam prudentes. Explico: É possível valorar o preço dos e-livros no site e muitos estão valorando o máximo possível, não se importando com os leitores e tornando o sistema inviável. Eu jamais pagaria cinco reais para baixar um livro e acho que nenhum leitor faria isto. Então, senhores autores amadores, pensem bem quando forem utilizar o sistema de vendagem de E-livros, está bem? Pensem em nós leitores.
No mais, o site da Bookess é só alegria. É possível fazer amizades, tal qual um bom site de rede social; divulgar seus e-livros, publicá-los e até mesmo ter opiniões sensatas sobre literatura. É um caminho muito interessante para aqueles que querem manter uma relação de proximidade com seus leitores.

Eis como fica um e-livro do site:


Até a próxima postagem!

15 de outubro de 2010

Escritores Amadores



Tem muita gente por aí que entende o termo "escritor amador" como pejorativo, diminutivo ou na melhor das hipóteses escritor não profissional. Eu discordo totalmente destes adjetivos e uso da simplicidade que tenho agregada ao meu caráter para dizer que escritor amador é aquele que escreve porque gosta. Todo mundo que gosta de escrever, seja profissional ou não é um escritor amador. O termo deve ser interpretado como "escritor que ama".

Vamos falar então destes escritores que amam. Há muitos e isto é excelente! Existe um site que agrega obras de vários deles, trata-se do site LivrosOn, já comentado por aqui. Quer conferi-lo? Clique aqui.

Sendo mais específico, vou dizer de pessoas. Começo com o escritor Fagner JB que tem diversos projetos e uma alma artística singular. Seu site agrega tudo o que ele já escreveu:

Jéssica Blend é uma guria talentosa que nos presenteia sempre com livros fantástico ambientados no contexto vampiresco e outras criaturas da moda:

Douglas Turolli também escreve literatura fantástica e poemas. Seu livro de grande sucesso na Bookess tem até site próprio:

Mariana Ribeiro tem vontade de escrever. É possível "sentir" essa vontade quando se está em suas páginas. Quer conhecê-la? Eis o seu blog:

Claudio Manuel é o tipo de escritor que estuda, analisa bem o tema que escolheu desenvolver. Um homem de grande empenho que coordena o Blog que dá nome a esta postagem:

Daniel Henrique é o tipo de homem que quer fazer algo de proveitoso para os outros:

Estes, meu amigos, são alguns dos "escritores que amam". Se você escarafunchar os blogs e sites que indiquei, conhecerá muitos outros. São amigos que comungam de ideologia semelhante a minha. Desejo muito que todos façam sucesso!

É isso para hoje.


14 de outubro de 2010

A Outra Face de Sidney Sheldon




Um psicanalista pode sofrer de paranoia ou estão mesmo querendo matá-lo?


O renomado médico psicanalista Judd Stevens encontra-se em delicada situação depois do assassinato de John Hanson, um de seus pacientes. Para complicar, no mesmo dia morre sua secretária Carol Roberts. Como se não bastasse, a polícia desconfia do “bom doutor”, dada a intimidade dos crimes e não o ajuda a descobrir a verdade: alguém quer matá-lo, mas quem e por quê?

No decorrer da trama, Judd se encontra em um terrível impasse: poderia estar sofrendo de paranoia e imaginando que alguém queria tirar-lhe a vida? Os assassinatos de Hanson e Carol poderiam muito bem não ter qualquer ligação. Mas e se tivessem? E se a ligação fosse ele? No intuito de descobrir se estava mesmo mentalmente doente, o doutor começa a investigar por conta própria e a fundo as mortes, acabando por se deparar com a surpreendente verdade que não nos cabe revelar.

Certa vez, ouvi uma entrevista de Sheldon dizendo que nunca imaginou que seus livros fariam tanto sucesso. Que tinha em mente apenas escrever boas histórias e que o sucesso foi em sua vida uma surpresa. Dizia que tinha o “dom” para fazer aquilo. Mesmo contrariado, tenho que admitir que senti mesmo “algo a mais” nas palavras deste escritor. Como se a história fosse leve, fluente e feita especialmente para me prender. Simples, inteligente e muito bem construída em cima de muito suspense. Recomendadíssimo.
Outro ponto importante e que tenho sempre comentado aqui é o projeto gráfico. Este livro é feito em tamanho comum e possui fonte em ótimo tamanho para leitura. Senhores escritores, muita atenção para o tamanho da fonte! Façam-na grande para dar clareza e facilidade a nós, leitores. Sheldon e sua editora fizeram isso e boa parte da leveza do livro se deve a isso. É um detalhe bobo mas que faz toda a diferença.
O livro que comento é uma obra-prima da literatura mundial.

Consagrado em diversos países e de fácil comércio. Você pode encontrá-lo em qualquer livraria do nosso país e deve ficar atento ao título do livro, já que a imagem de capa não tem nada a ver com a história. Fica a dica, uma ótima dica!

Até a próxima resenha!

8 de outubro de 2010

Concebendo Seu Próprio E-Livro


Voltando ao assunto dos E-livros, hoje vou começar a apresentar sucintamente algumas maneiras de se criar um livro eletrônico e disponibilizá-lo na Internet para leitura. Mais que isso, tendo um livro eletrônico pronto, você pode divulgá-lo e conseguir apoio para transformá-lo em livro tradicional. É uma prática vantajosa, mesmo para aqueles que apenas desejam ter suas histórias conhecidas.

Vamos lá. Existe um sistema muito interessante de publicações eletrônicas que é, inclusive, utilizado pelos escritores do site LivrosOn, chamado Issu:

Neste site, você pode se cadastrar e depois transformar o seu arquivo de texto em livro ou revista eletrônica. Não é difícil manusear o Issu, apesar de ser todo em inglês. É engraçado como só o LivrosOn faz uso desta tecnologia tão interessante. Eu faço parte do LivrosOn e utilizo, quer ver?

Tem dúvida de como usar? Quer saber mais? Pergunte aqui nos comentários que o que estiver ao meu alcance, eu responderei.

Já parou para pensar nas possibilidades de se ter um livro eletrônico? De poder divulgá-lo e integrá-lo a redes sociais e blogs? É muito vantajoso e interessante! Vejo com bons olhos esta perspectiva cultural em que o acesso às histórias fica cada vez mais curto. Num próximo post quero falar do E-livro da Bookess. Então, até lá! Um abraço!

6 de outubro de 2010

Publicando: Novo Século




Continuando a série "Publicando" aqui no blog, hoje vamos falar um pouco da editora Novo Século. Muitos novos autores (ou não) sabem que quando se fala em começar uma carreira literária, o caminho é publicar pela Novo Século. Uma imagem de "descobridora de novos talentos" está impregnada na marca desta editora. Por isso, quando você for levar seu livro para tentar uma publicação, vão orientá-lo para tentar a Novo Século. Contudo, mais uma vez, muita calma nesta hora!

Atualmente existem duas maneiras de publicar pela editora de que estamos falando. Uma delas, a tradicional, é o envio do original à editora pelo correio. Depois, é preciso paciência para esperar resposta no prazo de seis meses. Passado este tempo e nada de resposta, seu original não foi aceito e será destruído:

Se aceito, o editor entrará em contato com você e os detalhes da publicação serão combinados.

A segunda maneira trata-se de lançar o livro pelo selo Novos Talentos da editora. Mas que diabo é isso? Programa Raul Gil para escritores calouros? Não. Expliquemos sucintamente: este selo editorial é voltado para novos autores que possuem dinheiro para bancar a produção do livro. Então, caro amigo, preste atenção no que você vai ler aqui:

Trata-se exclusivamente de um modo de lançar seu livro de maneira independente, mas com o selo editorial da Novo Século. Esta prática comercial tem se tornado comum no mercado editorial e, de certo modo, não é de todo mal. Como havia dito quando conversávamos sobre a Giz Editorial, o autor tem que avaliar bem a proposta de publicação e sopesar investimentos e vantagens. São maneiras para se ingressar no mercado editorial.

O que você tem que saber, é que a editora vai ganhar em cima de você. Ela não terá nenhum prejuízo já que você irá bancar a produção dos livros. Eles dizem que o autor tem que adquirir certa quantidade de livros e mascaram aí a informação de que ele está bancando a produção dos livros. Só que vantagens são oferecidas, como por exemplo, noite de lançamento, divulgação e outros serviços.

Compensa, não compensa? Vai de cada um e do dinheiro que dispõe. Minha opinião pessoal de que se deve tentar pela primeira maneira, ainda que pareça mais distante. Vejo-a com mais justiça, apesar de tudo. Afinal, estamos começando e muitas vezes não temos condições de bancar a produção dos livros. Enfim, é isso! Acho que o papel de acreditar no sucesso tem que ser mútuo: da editora e do autor, não só deste último. Até o próximo "Publicando".

4 de outubro de 2010

Jonny Bala

1 de outubro de 2010

Bookess e o livro digital



 

No dia 29 de setembro de 2010, a Editora Bookess habilitou um serviço muito inteligente em seu site. Trata-se da vendagem de e-livros (os livros eletrônicos) diretamente pelo domínio da editora. O que é realmente importante para você, para mim e para todo mundo, são as novas possibilidades advindas desta nova realidade. Quer ver? Com a adoção da possibilidade de se adquirir e-livros para a leitura em dispositivos voltados para esse fim ou para lê-los em Pcs sem estar conectados à internet, o autor amador passa a dispor de incentivos concretos para escrever. Seus leitores passam a ter a possibilidade de retribuir pela prazerosa leitura, comprando o e-livro, tudo para que a cultura seja propagada de maneira capitalista e eficiente.

Ajustando o valor do meu e-livro Ester no site da Bookess, consegui deixá-lo disponível por R$1,99:

Assim, qualquer um pode baixar a 1ª edição de Ester diretamente pelo domínio da Bookess e conferir o livro em seus leitores de livros eletrônicos e celulares! (aqueles I-tudo se incluem também!)

O serviço é pioneiro, ainda pouco eficiente para a realidade que vivemos, mas visionário. Você já pensou? Poder ter uma gama de leitores que baixam seus livros ou capítulos? Como já é realidade na música, poder comercializar os livros por meio eletrônico? Eu vejo um futuro em que os autores poderão ganhar dinheiro diretamente dos seus leitores através da disposição de e-capítulos. Vislumbro valores reduzidos para baixar livros o que é vantajoso ao leitor (tudo pelo leitor!)

O que está esperando? Eu apoio e divulgo o que realmente é eficiente para os leitores e autores! Eis aí uma dessas coisas, seja você qualquer um deles!


__________________________________________________________________________


Comentário vindo do blog abril:
Também gostei desta ideia!! Moderníssima, de fato. Vou lá agora!
Um abraço. 
Antonio Álvarez Dias Messner